{Dicas de viagem} Keukenhof – tulipas na Holanda

Peço desculpa pela ausência. Prometo tentar dar um oi o quanto antes… Mas tive de postar logo se não o parque fecha, vocês entenderão, rs.Eu já havia mencionado aqui que teria mais variedade de assuntos. Uma mudança lenta, mas que aos poucos poderá ser sentida. Então, abro oficialmente a tag “Dicas de viagem” para compartilharmos experiências e dicas de nossas andanças. Para começar, aproveito a primavera européia…O assunto de hoje é Holanda. Ou melhor, um cantinho da Holanda não muito conhecido por aqui.Quando pensamos nas províncias dos Países Baixos, duas coisas nos vêm à mente: bicicletas e tulipas. Devido à topografia plana das cidades, sem declives, sem sobe e desce, as bicicletas são mesmo muito comuns e frequentemente utilizadas como meio de transporte por lá. Mas tulipas… É aí que muita gente pode se decepcionar!

Desembarcam já à espera daquela explosão de cores e… Onde foi que elas se esconderam? As tulipas, apesar se constituirem num dos símbolos do país, não são plantas perenes, mas flores de ciclos sazonais que tem sua época para florescer. Imagine se uma flor tão delicada resistiria às temperaturas negativas do inverno de lá!

Para ver tulipas vá ao lugar certo e na época certa: Keukenhof na primavera (mais ou menos de março à maio na Europa). Com quase 15 km de trilhas que podem ser percorridas a pé, e mais de 100 variedades da espécie, Keukenhof é o maior parque de tulipas do mundo.

O lugar é, de fato, um sonho. Mesmo você estando lá e vendo com seus próprios olhos (rs), não parece real. Eu não conseguia pensar em outra coisa se não que o Paraíso deveria se parecer Keukenhof. Não vou me alongar em palavras, vou deixar que as fotos falem por si.





Estas  são apenas algumas imagens do passeio, o lugar é enorme (e existe, as fotos são todas nossas, rs)! Vamos às dicas: sabe aquelas coisas que você só descobre “lá”, mas que seriam úteis se você soubesse antes? É isso que quero compartilhar!Cool Tips:
              Abertura de Keukenhof:

O parque só fica aberto em um determinado período na primavera.  E você está na Europa ou indo pra lá? Ele está aberto à visitação neste momento! Só mais alguns dias! Visite o site www.keukenhof.nl e confira os dias exatos e horários de funcionamento.
               Como chegar em Keukenhof:

Se localiza cerca de 20km de Amsterdam. Lá, a partir da estação do aeroporto de Schiphol, tome o ônibus 58 (direto), 54 ou 61. Uma boa opção é comprar um bilhete diário (paguei cerca de 14€) que inclui ida, volta e também pode ser utilizado nos ônibus dentro da própria cidade naquele dia.
               Campos de tulipas:

Quer conhecer uma plantação real de tulipas? Keukenhof conta com quiosques de aluguel de bicicletas logo antes da entrada (próximo às paradas de ônibus). Logo atrás do parque, um vasto campo com quilômetros de plantações fornecem bulbos para o mundo inteiro (ao fundo na nossa foto). Basta tomar fôlego e pedalar!

 

Numa próxima oportunidade, farei este passeio. Não tive tempo, pois dispunha apenas de um dia e o dediquei apenas ao parque, que demanda um dia inteiro para vê-lo todo. Então, programe-se!
Espero que tenham gostado e, quem ainda não visitou, espero que se inspire a conhecer este pedacinho de paraíso escondido.

Zaanze Schans – Moinhos de vento próximo de Amsterdam!

Está é mais uma dica de vigem para quem parte para desbravar os arredores de Holanda!
A cerca de 20km de Amsterdam, a charmosa vila de Zaanze Schans apresenta o que alguns dos tradicionais cartões postais da holandeses: os moinhos-de-vento! E o melhor de tudo: algumas destas engenhocas datadas de séculos, se encontram em pleno funcionamento e abertas à visitação. Claro que é mais demonstrativo que utilitário, mas, pra quem vai para os lados de Amsterdam na Holanda é um passeio imperdível, com certeza!


Uma coisa que achei interessante lá é o cheiro de delicioso de chocolate, extremamente forte por todo o lado! Um funcionário do museu de chocolate que há por lá, disse que boa parte do chocolate do mundo é produzido naquela região da Holanda. Incrível mesmo!

Como chegar: De Amsterdam, sair do Station Amsterdam Centraal. Comprar um bilhete para Zaanze Schans (do trem com destino a Alkmaar to Koog-Zaandijk). Lá Zaanze, é só seguir a sinalização.

(Parênteses)

Quando cheguei na cidade, errei as direções e não segui pela ponte que dava acesso aos moinhos, seguimos pela cidade. Foi incrível, a cidade é uma gracinha! Pude até ver um casamento lá. (a noiva estava chegando no cartório). Ver como são as casas e como vivem as pessoas que moram naquele local (não só a parte “turística”) foi, sem dúvida, a melhor parte do passeio!

Mas, se quiser se perder um pouco pela cidade, fique atento: nós andamos muito pela cidade, e, para chegar até os moinhos, tívemos de foi tomar um barco e atravessar o rio (pois fomos pela cidade). Não foi caro, coisa de 1 ou 2 euros por pessoa, mas, pra mim, valeu a pena :)

Passeio de bicicleta em Amsterdam

Você já imaginou um estacionamento de bicicletas? Não? Se imaginasse, ele alguma coisa parecida com isso?

Estacionadas aqui, até o fundo, onde tem aquela plataforma, são todas bicicletas! Isto é Amsterdam!

As bicicletas estão por todo lado, são usadas não só por turistas, mas como um meio de transporte comum entre os holandeses de todas as idades.  Se você não não quer perder a oportunidade de aproveitar a topografia plana da cidade, siga os nativos e saia pedalando! Segue algumas dicas:

LOCAÇÃO DE BIKES:
Uma das maiores redes de locação na cidade é a Mac Bike http://www.macbike.nl/
Há em vários pontos da cidade, mas pra não perder tempo lá, o ideal é verificar antes qual o ponto de rental bike mais próximo de sua hospedagem.

FREIO HOLÂNDES NAS BICICLETA

Há 2 tipos de freio na bike, no guidão (o manual, nosso conhecido), e o freio no pedal (o freio que os holandeses costumam usar!!). O aluguel da bicicleta com o freio no guidão é um pouco mais caro, mas pra quem não está acostumado com o freio no pé, ou, e não pega numa bike há algum tempo – meu caso-, vale a pena pagar esse valor a mais, realmente o freio no pé é beeem diferente e pode causar algum transtorno. Confirme antes de alugar.

 

PREPARO FÍSICO:

Pode parecer bobagem falar disso, cada um sabe disso. Entretanto, vendo que traçando apenas alguns mapas, é possível fazer quase todos os passeios da cidade só com a bicicleta, e o aluguel compensa os valores dos bondes, é essencial falar disto.

Se bicicleta já fizer parte da sua rotina, ótimo, pare a leitura aqui! Mas, se faz algum tempo que você não sobe em uma delas, não planeje grandes aventuras ainda. Sugiro locar a bicicleta por apenas 3 horas e fazer um teste.

Eu mesma não abri mão do meu passeio de bike por Amsterdam, achei que precisaria de uma diária pra “matar” aquela vontade toda, mas as 3 horas já foram o suficiente. Não me cansei tanto, mas a parte da perna que ficou em contato com o banquinho doeu demais depois! Falta de hábito. Cadê tu, resistência?

Se você achar que tem preparo pra encarar numa boa, manda ver. A aventura será memorável! Na Mac Bike, onde aluguei minha magrela, passado as 3hrs, poderia devolver no outro dia e pagaria apenas o valor normal da diária, sem ter que avisá-los antes (por via das dúvidas, confirme se a política continua a mesma).

TRÂNSITO LOCAL:

É fácil andar de bicicleta em Amsterdam, há bastante ciclovias demarcadas, ageografica da cidade planinha é própria para isso, mas: o tráfego de bicicletas é muito intenso! Há muitos ciclistas, mas muitos mesmo! E o pior é que não são todos ciclistas corriqueiros, a maior parte eram turistas que, como eu, muitas vezes não pegam em bicicleta há algum tempo e fazem algumas trapalhadas (meu caso).

Nada que seja perigoso, mas eu confesso que alguns momentos deu um frio na barriga, cheguei até a descer da magrela para atravessar ruas mais movimentadas. Pensa numa pata… Completa! O amore sempre na frente, me esperando, ou, rindo da minha situação.

Só pedalei totalmente tranquila quando entramos dentro de um parque e na beira de um canal. O tráfego de bicicletas é um pouco bagunçado, mas nada que faça o passeio deixar de valer a pena, é lindo e delicioso! Em Amsterdam, como os holandeses… Enjoy it!

Onde se hospedar em Amsterdam

Você quer um hotel BBB (bom, bonito e barato) em Amsterdam? Uhlala! Boa sorte! Essa procura pode se tornar um pequeno grande desafio. Boa parte dos hotéis lá são bem velhos e nem sempre as instalações legais.Portanto… Se a faixa é budget, primeira coisa: tente aceitar a idéia de que você pode pagar mais (comparado à outras capitais) e talvez tenha que encarar um hotel de qualidade inferior.Nas duas vezes que estive lá, fiquei em hotéis diferentes. Vai lá a indicação do que eu gostei mais: Kooky Hotel.

As escadas íngremes e a fachada não escodem que o Kooky é um hotel antigo, uma típica casa com construção do século XVIII transformada em hotel.

A localização é ótima, é exatamente de frente para um canal e próximo da Leidseplein.

Pra quem não vai de carro e depende de transporte público é legal ficar próximo da Leidseplein. Lá tem agito noturno, bares, restaurantes e transporte para inúmeros pontos da cidade.
É um hotel simples, mas tinha tudo o que nós precisacamos. Ficamos num quarto amplo e limpo. O banheiro era shared, mas tudo estava  sempre limpo.