Teorizando a história da e-session, e a sessão em Londrina.

Olá!
O nome pode até lembrar um pouco tese de mestrado
Não deixarei de ilustrar a temática, mas o post de hoje será um pouquinho mais “teórico”, histórico. Peço antecipadamente desculpas pelo tamanho, mas, quem tiver paciência e curiosidade de conhecer um pouco mais de como as coisas aconteceram around the world, vamos a isto 
O assunto é e-session. Neste post vou falar um pouco daí e um pouco daqui,  como eu percebi as coisas acontecendo aqui na Europa e das e-sessions feitas na minha cidade aí no Brasil, Londrina.
Muitas noivas já devem ter notado que as sessões fotográficas de noivos, prática muito antiga no Brasil, só ganharam a denominação “e-session” recentemente. Pois é, aqui também. Sim, é exatamente isso que estou querendo dizer, conversando com várias noivas e profissionais, vi que antes aqui não se fazia fotos dos noivos. É de se estranhar, uma coisa tão comum, e, pode-se dizer, até mesmo já tão antiga no Brasil.

Surpreendente que não só a denominação, e- de engagement, noivado, como a session (ou seja, a própria sessão fotogrráfica dos noivos) seja um fenômeno tão recente por aqui. Mas tem porquê e diferenças.
A primeira delas é que nos casamentos não se usa fotos dos noivos, pôster dos noivos, nada. Porque? Simples.

A primavera é uma estação realmente encantadora aqui, inspira ares de frescor, renovação, os céus são mais coloridos. Literalmente a vida renasce depois que frio do inverno cede e o calor do verão ainda não se instaura. A época mais linda e cheia de flores do hemisfério norte, é também a mais propícia para os casamentos por aqui. Já pararam pra pensar porque maio é “o mês” das noivas?

E, por este motivo, como eu já disse em alguns posts aqui, a decoração não tem a nossa pompa, dada muitas vezes pela motivação noturna, e os casamentos não tem tantos detalhes quanto os nossos. Os casamentos aqui são realizados durante o dia (eles quase morrem quando nós falamos que os nossos são à noite… muitas vezes já me perguntaram “mas e as fotos…?” rs) e a maioria das recepções dos casamentos são realizadas ao ar livre. Depois da Igreja, num belo jardim um pequeno coquetel ou um big banquete no almoço aguarda os convidados.  
Pensa nas fotos. As fotos do casamento já saem lindas e maravilhosas, primeiro por serem favorecidas pela cenário e também pela própria luz dia. Não se tinha necessidade de e-session porque não se usa pôster ou fotos em casamentos mais campestres assim (isso também justifica porque o trash the dress americano não pegou muito por aqui), e também por que as fotos do casamento já ficam ótimas.
Mas… Dois dilemas vinham a baila: o primeiro deles é, que sendo desta forma, acabava que muitas fotos ficavam mais posadas. Ah ,o fotojornalismo! Quem não quer registrar os momentos mais espontâneos?
O segundo era que muitas vezes o dia do casamento era o primeiro dia que as lentes do fotógrafo tinham contato com os noivos. Pensa…
 
Aí as e-sessions começaram a se disseminar. Os fotógrafos tinham de explicar porque era legal fazer uma e-session antes do casamento. Aí via-se coisas como “Vamos fazer uma e-session que é legal. Vocês guardam de recordação fotos bonitas e espontâneas do noivado e a gente se conhece melhor, eu consigo saber como captar os melhores angulos de vocês.”
 
Gente, essas coisas eram tão comuns, via-se por todo o canto, mas quando a gente quer achar… Enquanto eu não acho, ilustro isso com um trecho do post do fotógrafo Ken Sandhu, um indiano que trabalha em Chicago (pelo jeito a coisa na América não fugiu muito do que foi por aqui…):
 
An E-Session is an Engagement shoot, and it is something I recommend having to get comfortable with you and to have you get comfortable with me.
During an E-Session, we will spend an hour or two in a location (or two) of your choice. I recommend a special place that means something to you, whether that be your favorite beach, restaurant, look-out, or even inside your favorite store (most store managers won’t mind at all)!
Getting to Know Each Other
We will spend time getting to know one another. I will learn how you two interact with one another (on and off camera) as well as how comfortable you are being photographed. You will learn how you actually feel in front of a camera. If you are a bit camera shy or overwhelmed, an E-Session will help you become more comfortable; and in turn, you will be more relaxed on your wedding day. Together, we will learn how we best interact and communicate, which is extremely valuable to establish before the wedding day!
If you know what you want out of your wedding photographer, this is a great opportunity to communicate this to me to make sure I know what you are look for. Some couples prefer their photographer to take the lead and direct the bridal party, while some like the photographer to hang back and take predominantly candid, journalistic photos. Most like a mix of the two. Either way, your E-Session will be a good indicator of what you would like on your wedding day.
Announcing Your Engagement
While your wedding photos are some of the most important you will ever have taken, its great to have romantic and professional images in a more personal and intimate setting. You can then share these photos with friends, family, and co-workers to tell them you are engaged, use them on your “save the date” cards, and post them on your wedding website! At your wedding, these photos can be used to create a customized guest book, as part of your party favors, and on a sign-board! There are so many possibilities!
 
Quem quiser ler o post na íntegra, acesse aqui. Espontâneidade era a palavra para convence-los de que realmente ficaria uma coisa diferente. O post é de março de 2010, uma coisa mais ou menos recente, e eles ainda tem que vender o peixe, explicar que pode ser legal fazer um session e as vantagens para poder vender o peixe, coisa que no Brasil não é preciso citar uma palavra, todo mundo já sabe o que fazer com uma e-session (se não sabe, posta no blog :P).
 
De lá pra cá, veio surgindo muita sessão bacana, tematizada, com balão, street, vintage, tendência aqui e no Brasil. Mas, na contramão um pouco dessas novidades, mas sem perder a pedra de toque que impulsina a sessão, que é a espontândeidade, quero falar um pouco de como são as tradicionais e-sessions da minha cidade, Londrina.
 
Quando lá em 2007 eu fui fazer minha e-session, era tradicional as fotos em estúdio. Dificilmente alguém optava por externas. Eu disse não, eu quero externa, o casamento é a noite e eu quero guardar imagens durante do dia do local lindo que vai ser nosso casamento. E lá fomos nós pra Chácara Graciosa. Coloco algumas fotos…
 
Com o passar do tempo é que a coisa da externa foi se popularizando e hoje é bem menor o número de casais que optam pelo estúdio. Gostaria de mostrar, como eu disse, sem fugir da temática espontãneidade, uma e-session sem balão e sem temática, mas com certeza espontanea e que vai gravar pra sempre o jeitinho dos noivos nesse período, que é a da Érika, noivinha da comu Noivas de Londrina no orkut.

 
 
 

tags:

Deixe uma resposta