Um pouco sobre Nuremberg…

Este é o passaporte do meu bisavô. Sim, ele era de Nuremberg! Daí nasceu meu interesse pela cidade. O que ele teria deixado pra trás pra ir pro Brasa?

Nos tempos de Hittler, Nuremberg era a grande vedete dos nazistas. Devido à sua posição geográfica no centro da Alemanha, o Partido Nazista escolheu a cidade para ser o local de muitas convenções, a comícios e outros eventos relacionados aos ideais políticos. Um verdadeiro centro de ideais nazistas!
Foi lá, em 1935, que foram ordenadas as leis anti-semitas e revogada a cidadania para todos os judeus. A cidade também foi usada como distrito militar para fornecer treinamento de recrutas para combate.
Enfim… A importância que a cidade teve para os seguidores do füher a levou à sua quase completa destruição. Em 1945 o centro medieval da cidade foi todo bombardeado pelos EUA quando eles conseguiram a Alemanha. Posso até imaginar a cena:
“Ah é? Seus nazistas, vocês gostam de Nuremberg? Cidade bonitinha, é aqui o centro de onde vocês proliferavam todo seu o veneno? Fiquem com isso…” Isso é romancear um pouco? Talvez. O fato é que os americanos destruiram contruções muito antigas que nada tinha a ver com a história, ao menos com a história daquela época.
Em apenas uma hora, o as forças aéreas juntamente com o exercito destruiram 90% da cidade, mataram 1800 pessoas e deixaram 100.000 desabrigados. locados. Em uma hora! Outros ataques seguiram e mataram 6000 pessoas. Meu avô poderia ter sido um deles se não tivesse ido pro Brasil…
Após o término da guerra, a cidade foi reconstruída tal como era aparência antes dos ataques. Isso virou até um postal (abaixo), que eu comprei em uma das banquinhas por lá:

Nuremberg além de riquíssima em história, é linda, vale a pena o passeio, com certeza. Confira aqui o post sobre o que ver lá em 1 dia.

Uma resposta para “Um pouco sobre Nuremberg…”

  1. Cassio Amador disse:

    Adorei esse post!

    Não tinha pensado nisso, que se seu bisavô tivesse ficado, provavelmente teria participado da guerra!

    Ao invés preferiu ficar cultivando terras no Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *